Inspirando Vidas: Conheça Jadav Molai Payeng, o Indiano que plantou sozinho uma Floresta

Publicado em: Natureza Data: 2015-10-30 Visualizações: 479

Quase três décadas atrás, um adolescente, depois de perceber a morte de um grande número de répteis devido à falta da sombra de uma árvore, começou a plantar bambu em uma área que tinha sido arrastada pelas enchentes. Hoje, essa mesma terra hospeda 1.360 acres de selva, é chamada de Floresta Molai, em homenagem a Jadav " Molai " Payeng , o homem que tornou tudo isso possível !

Hoje a floresta é o lar de tigres de Bengala , Rinoceronte indiano, mais de 100 veados e coelhos , além de macacos e diversas variedades de aves, incluindo um grande número de Condores . Existem milhares de árvores. O bambu abrange uma área de mais de 300 hectares. Um rebanho de cerca de 100 elefantes visita regularmente a floresta a cada ano e, geralmente, permanece por cerca de seis meses .

" O sistema de educação deveria ser assim , cada criança deveria ser convidada a plantar duas árvores ", diz Payeng .

 

Ele tinha 16 anos quando a inundação atingiu Assam, e Payeng observou que o fluxo das aves migratórias estava declinando gradualmente para as áreas de florestas e zonas húmidas perto de sua casa , além disso ele percebeu que cobras estavam desaparecendo em grande número. Isso o perturbou.


"Eu perguntei aos meus anciãos, o que eles fariam se todos nós morressemos um dia, como essas cobras . Eles simplesmente riram , mas eu sabia que tinha que tornar o planeta mais verde " , diz ele.


Os anciãos da aldeia disseram-lhe que com o declínio da cobertura florestal e do desmatamento, os animais perderam suas casas. A solução era construir novas casas ou florestas para os animais, eles disseram .

 

Ele alertou o departamento florestal, mas lhe disseram que ele deveria plantar árvores (e foi exatamente o que ele fez). Ele localizou uma ilha fluvial , às margens do rio Brahmaputra , e começou a plantar as mudas . Payeng visitou a ilha e plantou algumas mudas por dia, durante três décadas.

A irrigação da área de cultivo de plantas e se tornou um grande problema. Ele não podia tirar água do rio e de todas as plantas que cresciam na região.

Ele construiu uma plataforma de bambu na parte superior de cada muda e colocou potes de barro com pequenos buracos neles . A água que escorria gradualmente sobre as plantas fornecia a água por toda a semana,  até o dreno total de água dos vasos.

 

No próximo ano, em 1980, ele começou a trabalhar com a divisão florestal social do distrito de Golaghat, onde finalmente lançaram um projeto para plantio de árvores em 200 hectares na Aruna Chapori, situada a uma distância de 5 km do Kokilamukh no distrito de Jorhat.

Payeng foi um dos operários que trabalhou no projeto de 5 (cinco) anos de duração. Ele optou por continuar no local, mesmo após a conclusão do projeto, mesmo depois que outros trabalhadores saírama. Ele cuidava das plantas e continuava com o plantio de árvores por conta própria, em um esforço para transformar a área em uma floresta.

Payeng pertence a uma tribo chamada "Mishing" em Assam, na Índia. Ele vive em uma pequena cabana na floresta com sua esposa, e seus 3 filhos. Ele tem gado e búfalo em sua fazenda e vende o leite para seu sustento, que é a sua única fonte de renda.

"Meus amigos se tornaram engenheiros e estão vivendo na cidade. Eu sacrifiquei tudo e esta selva é minha casa agora. O reconhecimento e prêmios que recebi é a minha riqueza e que me tornam o homem mais feliz do mundo", diz Payeng.

Não é incrível ver a força de vontade deste homem que lutou sozinho e ganhou está batalha ? Quanto o homem moderno não hesita em derrubar árvores para atender seus lucos, estr homem sacrificou todos os prazeres mundanos para salvar o meio ambiente e o eco-sistema.

Precisamos de mais desses super-heróis que estão tentando fazer da Terra um lugar melhor para viver para todos e cada um.